A ESCRITA ESPELHADA: DISCURSOS QUE REFLETEM SOBRE O OFÍCIO DE ESCREVER EM OBRAS DE CLARICE LISPECTOR E DÁRIO JARAMILLO

Nome: Ricardo Javier Barreto Montero
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 19/02/2020
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Ester Abreu Vieira de Oliveira Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Eduardo Fernando Baunilha Suplente Externo
Ester Abreu Vieira de Oliveira Orientador
Jorge Luiz do Nascimento Suplente Interno
Maria Mirtis Caser Examinador Interno
Renata Oliveira Bomfim Examinador Externo

Resumo: Esta pesquisa investiga as reflexões em torno à escrita (o porquê escrever), feitas pela escritora brasileira Clarice Lispector e o escritor colombiano Darío Jaramillo Agudelo em obras específicas.
Para tal fim, se buscará informação nos textos ficcionais dos autores que se enquadrem na metaficção (na que a figura do autor dá voz a um personagem para falar sobre o exercício da escrita), nos textos definidos como as escritas de si (gênero epistolar, autobiografia ou memórias), e também nas expressões autorais diretas (ensaios, entrevistas e prólogos, entre outros). A ênfase
se fará nas últimas obras de Clarice Lispector (A Hora da Estrela (1977), Um Sopro de Vida (1978) e Água Viva (1973)), assim como nas correspondências e nas entrevistas e crônicas feitas pela autora. De outro lado, se procurará estabelecer pontos em comum com o trabalho desenvolvido pelo autor
olombiano Dario Jaramillo Agudelo, que, sem a mesma assiduidade,
também reflete sobre o oficio da escrita através de algumas obras ficcionais (La Muerte de Alec (1999) e El Juego del Alfiler (2002), assim como num conjunto dos seus poemas), de seu livro de memórias Historia de una Pasión (2006), e em algumas entrevistas e ensaios. Neste trabalho se pretende demonstrar que em cada um dos autores é possível encontrar uma escrita espelhada (uma escrita que fala da escrita mesma e que reflete sobre o ato de escrever) e que, a partir dela, é possível responder à pergunta do porquê eles escrevem. Apoiando-se nas teorias desenvolvidas por teóricos como Michael Foucault sobre escritas de experiência e escritas de si (La inquietud por la
verdad: Escritos sobre la sexualidad y el sujeto (2013)), Roland Barthes sobre o problema do autor e a escrita (O grau zero da escrita (1974) e O rumor da língua (2004)) e Maurice Blanchot em torno ao que é escrever (O espaço literário (2004)), este trabalho objetiva estabelecer uma possível poética da escrita tanto para Lispector como para Jaramillo.
PALAVRAS-CHAVE: Reflexões sobre a Escrita. Clarice Lispector. Darío Jaramillo. Metaficção. Confissões de escritores.

Acesso ao documento

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910