Tópicos Especiais XVII

Código: PLET-5533
Curso: Mestrado em Letras
Créditos: 1
Carga horária: 15
Ementa: Ementa:
Marcial, poeta hispânico do século I d.C., deixou o seu nome indelevelmente ligado ao género epigramático e mais especificamente ao epigrama satírico. O “poeta di Roma vivente” dedicou o seu tempo a observar, com olhos de verdadeiro repórter, os usos e costumes, as atitudes e os espaços do modus vivendi dos homens do seu tempo. Os seus mais de 1500 epigramas têm, nas palavras do próprio poeta, sabor humano.
Tendo como base de estudo a obra deste poeta, devidamente enquadrada no seu contexto vivencial e epocal, mas sem perder de vista o contributo de outros poetas, como Ovídio (poeta dos amores), Propércio (poeta elegíaco) e Juvenal (outro poeta romano de forte veia satírica), e ainda do epistológrafo Plínio-o-Moço e do historiador Suetónio, será possível percorrer e revisitar os espaços físicos e sociais, as casas, as ruas, as gentes e os edifícios públicos mais concorridos da Roma contemporânea da construção do Coliseu
Bibliografia: Bibliografia:
Cristina Pimentel, José Luís Brandão, Paolo Fedeli (coords.) (2012), O poeta e a cidade no mundo romano. Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra e Centro de Estudos Clássicos de Lisboa.
M. C. Pimentel et alii (2000, 2001, 2004), Marcial, Epigramas, vols. I-IV, introdução, tradução e notas. Lisboa, Edições 70.
M. C. Pimentel, D. F. Leão e J. L. Brandão (coords.) (2004), “Toto notus in orbe Martialis”. Celebração de Marcial 1900 após a sua morte. Coimbra, IEC – CECH / Lisboa, DEC – CEC.
Martial (1969, 1973), Épigrammes, deux tomes, texte établi et traduit par H.J. Izaac. Paris, Les Belles Lettres.
D. M. S. Baptista (2009), O Burlesco e o Satírico na obra de Marcial e Juvenal. Dissertação, Universidade de Aveiro.
W. Fitzgerald (2007), Martial. The World of the Epigram. Chicago and London, Univ. of Chicago Press.
I. Graça (2004), Roma na poesia de Marcial: Imagens e ecos de um espaço físico e social. Dissertação. Universidade de Aveiro. [versão electrónica em: ria.ua.pt/bilstream/…/].
U. E. Paoli (1955), Vita Romana. La vie quotidienne dans la Rome antique. Belgique, Desclée de Brouwer.
Propércio (2002), Elegias. Texto latino e Introdução: Paolo Fedeli; Tradução Portuguesa: Aires A. Nascimento (Livro I); Maria Cristina Pimentel (Livro II); Paulo F. Alberto (Livro III); J. A. Segurado e Campos (Livro IV); Coordenação: Aires A. Nascimento. Edição: Assis, Accademia Properziana del Subasio e Lisboa, Centro de Estudos Clássicos, Faculdade de Letras.
V. Rimel (2008), Martial’s Rome. Empire and the Ideology of Epigram. Cambridge, University Press.
Suetónio (1979), Os doze Césares. Tradução e notas de João Gaspar Simões. Lisboa, Editorial Presença.
J. P. Sullivan (1991), Martial: The unexpected Classic. A literary and historical Study. Cambridge, University Press.
J. Torrão e A. Andrade (2008), “Os labirintos da cidade: Marcial em Roma”, Ágora 10 63-79.
P. Zanker (1992), Augusto y el poder de las imágenes. Madrid.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910