Literatura e Filosofia

Código: PLET-6511
Curso: Doutorado em Letras
Créditos: 4
Carga horária: 60
Ementa: Estudo das correntes do pensamento contemporâneo mais representativas para a reflexão em torno do texto literário, a fim de possibilitar o reconhecimento e a interpretação de questões filosóficas subjacentes ou paralelas à produção literária contemporânea.
Bibliografia: 1. ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.
2. AGAMBEN, Giorgio . Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Tradução de Henrique burigo. Belo Horizonte: UFMG, 2002.
3. ALMEIDA, Júlia. Estudos deleuzeanos da linguagem. Campinas: Ed. da Unicamp, 2003.
4. BADIOU, Alain. Pequeno Manual de Inestética. Tradução de Marina Appenzeller. – São Paulo:
Estação Liberdade, 2002.
5. BAKHTIN, Mikhail. Arte e responsabilidade. In.: –––––Estética da Criação Verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.
6. BENJAMIN, W. Obras escolhidas. Magia e técnica, arte e política. Tradução de Sérgio Paulo Rouanet. São K Paulo: Iluminuras, 1993.
7. DEBORD, Guy. A sociedade do espetáculo. Tradução de Estela dos Santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.
8. GILLES, Deleuze & GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo, capitalismo e esquizofrenia. Tradução de Joana Moraes Varela e Manuel Maria Carrilho. Lisboa: Assírio e Alvim, 1972.
9. DELEUZE, Gilles;GUATTARI, Félix. Kafka, para uma literatura menor. Tradução de Rafael Godinho. Lisboa: Assírio e Alvim, 2002.
10. DELEUZE, Gilles ; GUATTARI, Félix. Mil Platôs, capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1 a V. Tradução de Peter Pál Pelbart e Janice Caiafa. São Paulo: Editora 34, 2008.
11. DELEUZE, Gilles. “Post-Scriptum sobre as sociedades de controle”. In: Conversações. Tradução de Peter Pál Pelbart. SP: Editora 34, 1992, p. 224.
12. DELEUZE, G. Proust e os signos. Tradução de Antonio Carlos Piquet e Roberto Machado. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1987.
13. DERRIDA, Jacques. Gramatologia. Miriam Schnaiderman e Renato Janini Ribeiro. São Paulo: Perspectiva, 1973
14. EAGLEON, Terry. A ideia de cultura. Tradução de Sandra Castello Branco. São Paulo: Unesp, 2005.
15. EAGLETON, Terry. Teoria da literatura: uma Introdução. Tradução de Waltemir Dutra. São Paulo: Mastins Fontes, 2006.
16. ECHEVERRÍA, Bolívar. La modernidad de lo barroco. México: Ediciones Era. 1998.
17. ESPOSITO, Roberto. Pensamento vivo: origem e atualidade da filosofia italiana. Tradução de Henrique Burigo. Belo Horizonte: UFMG, 2013.
18. FOUCAULT, Michel. História da sexualidade I: Vontade de Saber. Tradução de Maria Theresa da Costa Albuquerque. Rio de Janeiro: Graal,1999.
19. FOUCAUT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. Petrópolis: Vozes, 1987.
20. GRAMSCI, Antonio. Cadernos do Cárcere – Volume 2, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2000.
21. HEIDEGGER, M. A origem da obra de arte. Tradução de Maria da Conceição Costa. Lisboa: Ed. 70, 1989.
22. JAMESON, Fredric. A virada cultural: reflexões sobre o pós-modernismo. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2006.
23. JAMESON, Fredric. Modernidade singular: ensaio sobre a ontologia do presente. Tradução de Roberto Franco Valente. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.
24. JAMESON, Fredric. O inconsciente político: a narrativa como ato socialmente simbólico. Tradução de Valter Lellis Siqueira. São Paulo: Editora Ática, 1992.
25. LÉVINAS, Emanuel. Ensaios sobre a alteridade. Tradução de Pergentino Stefano Pivatto. Petrópolis: Vezes, 1997.
26. LUKÁCS, Georg. História e consciência de classe: estudos de dialética marxista. Tradução de Telma Costa. Lisboa: Publicações Escorpião, 1974.
27. MARX, Karl ; ENGELS, Friedrich. A ideologia alemã. Tradução de Rubens Enderle. São Paulo: Boitempo, 2007.
28. NIETZSCHE, F. O nascimento da tragédia. Tradução de de J. Guinsburg. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.
29. RANCIÈRE, Jacques. O inconsciente estético. Tradução de Mônica Costa Netto. São Paulo: Editora 34, 2009.
30. RANCIÈRE, Jacques. Políticas da Escrita. Tradução de Raquel Ramalhete. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.
31. RANCIÉRE, Jacques. A política da ficção. Tradução de J. P. Cachopo, KKYM, 2014.
32. REBELLO, HÉLIO; ALMEIDA, Júlia. A teoria pragmática/semiótica de Deleuze na crítica à primazia do verbal. In: FERREIRA, Ruberval; RAJAGOPALAN, Kanavillil. Um Mapa da Crítica nos Estudos da Linguagem e do Discurso. Campinas-SP: Pontes Editores, 2016. p. 143-162.
33. RICOEUR, Paul. Tempo e narrativa (tomos 1, 2 e 3). Tradução de Constança Marcondes Cesar. Campinas: Papirus,1994.
34. SAID, Edward. Cultura e imperialismo. Tradução de Denise Bottmann. Companhia das Letras, 2009.
35. SCHILLER, Friedrich. A educação estética do homem. Tradução de Roberto Schwarz e Márcio Suziki. São Paulo: Iluminuras, 2002.
36. SOARES, Luis Eustáquio Soares. A sociedade do controle integrado: Franz Kafka e Guimarães Rosa. Vitória: Edufes, 2014.
37. SOARES, Luis Eustáquio (Org) Multiplicidades: literatura e filosofia. Vitória: Aquarius, 2013.
38. SOARES, Luís Eustáquio. “Mimesis, alteridade e pobreza”. Contexto. Vitória, n. 12, p. 15-32, 2005.
39. SOARES, Luís Eustáquio. O estado civil das contradições e seu estado no mundo civil – o pobre, a literatura, o nacional e o mundial. Contexto, Vitória, n.13, p. 63-74, 2006.
40. WILLIAMS, Raymond. Tragédia Moderna. Tradução de Betina Bischof. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

Transparência Pública
Acesso à informação

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910